Empresa converte a audiência de sites da internet em árvores plantadas

Plantio neutraliza emissão de CO2 dos servidores que armazenam os sites.
Até o fim do ano, companhia espera plantar 10 mil árvores.
Helton Simões Gomes
Do G1, em São Paulo

Apesar de trabalhar com a terra nas mãos, o foco da empresa brasileira recém-criada GreenClick é o setor de tecnologia da informação. O negócio da companhia é converter o número de visualizações de um site na internet em árvores plantadas, com o objetivo de neutralizar a quantidade de dióxido de carbônico (CO2) emitida no processo de armazenamento dessa página em “data centers” (Veja aqui).
Diferentemente de veículos automotivos que lançam CO2 diretamente na atmosfera, os sites fazem isso de forma indireta. Nesse caso, a emissão do principal gás do efeito estufa é creditada às centrais de dados que armazenam as informações digitais das páginas na web. Isso ocorre porque esses equipamentos de armazenamento de dados são grandes consumidoras de energia elétrica, cujo processo de geração emite gás carbônico.
“A nossa iniciativa calcula o volume estimado de energia gasto pelo site, e reverte isso em plantio de árvore para que possamos fazer a neutralização do CO2”, explica Cecília Vick, de 32 anos, sócia da companhia.
Nascida na segunda quinzena de janeiro, a empresa tem meta de, até o fim de 2014, plantar 10 mil árvores, quantidade de plantas capaz de neutralizar a poluição gerada por um carro 1.0 que percorra uma distância equivalente a quatro voltas ao redor da Terra.
Segundo a executiva, que trabalhava em empresas de comércio eletrônico, muitas empresas gostariam de ter práticas sustentáveis, mas esbarram na burocracia, nos processos para criar um processo interno ou nos altos custos.
No pouco tempo de vida, a empresa já atende quase 40 clientes, para os quais plantou em torno de 70 árvores – o maior deles é a FastRunner, com 35 árvores. Até o fim de março, dadas as negociações com novos sites, a GreenClick estima chegar a 1 mil.
Selo sustentável
“Para mensurarmos quanto um site demanda de consumo [de eletricidade] e o quanto ele polui o planeta, a gente coletou as especificações técnicas dos maiores servidores do mundo. Com elas, checamos a quantidade de energia consumida e qual a quantidade de acessos são suportados”, explica Vick.
Após o cruzamento dessas informações, a GreenClick constatou que, a cada vez que uma página chega a ser visualizada 120 mil vezes por ano, é necessário o plantio de uma árvore. Isso é o suficiente, nas contas da empresa, para neutralizar a emissão de 7 kg de CO2.
Cada árvore custa R$ 248. À medida que mais plantas forem incluídas no pacote, mais o preço cobrado por cada uma delas cai. O plantio de espécies nativas é feito em uma área no norte do Paraná, no município de Apucarana, pela parceira no empreendimento, o Instituto Brasileiro de Florestas (IBF).
Depois do plantio, os sites são autorizados a incluír um selo indicando a conduta sustentável. O selo, porém, não é apenas decorativo nem um fim em si mesmo. Ele possui um mecanismo que audita diariamente a quantidade de visualizações do site, de modo a alertar para a necessidade do plantio de uma nova árvore se a audiência da página crescer. O selo permite ainda aos internautas verem quantas árvores aquele site teve de plantar para neutralizar suas emissões.