Site

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Um website ou site (sítio eletrônico (português brasileiro) ou sítio, sítio eletrónico/web/da internet (português europeu)) é um conjunto de páginas web, isto é, de hipertextos acessíveis geralmente pelo protocolo HTTP na internet. O conjunto de todos os sites públicos existentes compõe a World Wide Web. As páginas num site são organizadas a partir de um URL básico, ou sítio, onde fica a página principal, e geralmente residem no mesmo diretório de um servidor. As páginas são organizadas dentro do site numa hierarquia observável no URL, embora as hiperligações entre elas controlem o modo como o leitor se apercebe da estrutura global, modo esse que pode ter pouco a ver com a estrutura hierárquica dos arquivos do site.
Alguns sites, ou partes de sites, exigem uma subscrição, com o pagamento de uma taxa, por exemplo, mensal, ou então apenas um registo gratuito. Os exemplos incluem muitos sites de notícias, sites de entretenimento, sites que fornecem dados do mercado financeiro em tempo real e a Enciclopédia Britânica.
Índice [esconder]
1 Origem do nome
1.1 Nome em português
2 Visão geral
3 Propósitos dos Sites
4 Instrumento de publicidade
5 Referências
6 Veja também
Origem do nome[editar | editar código-fonte]

Quando a World Wide Web foi criada no CERN, ela recebeu esse nome de seu criador Tim Berners-Lee.2 Ele comparou a sua criação com uma teia, “web” em inglês. Cada nó dessa teia é um local (virtual) onde há hipertextos. Como a palavra inglesa para local é site (também derivada do latim situs: “lugar, local”), quando as pessoas queriam se referir a um local da teia, elas falavam web site. Assim, um novo nome surgiu para designar esse novo conceito de nó onde há um conjunto de hipertextos: Web site.
Batizada desta forma, a Web e seus Web sites tornaram-se mundialmente famosos e seus nomes empregados em diversas línguas. Em inglês, foi necessário usar o qualificativo Web antes de site, para diferenciar de outros usos que a palavra site tem nesta língua, onde significa “local”. Mas, quando o contexto deixava claro que se estava falando da Web, dizia-se apenas “site”. Já na língua portuguesa, esse qualificativo não é necessário em momento algum, pois a palavra site é um anglicismo novo em nosso vocabulário e tem o único e mesmo significado de Web site, embora a grafia induza a erro, pois pronuncia-se “saite”.
Nome em português[editar | editar código-fonte]
A palavra site em inglês tem exatamente o mesmo significado de “sítio” em português, pois ambas derivam do latim situs (“lugar demarcado, local, posição”) e, primariamente, designa qualquer lugar ou local delimitado (sítio arquitetônico, sítio paisagístico, sítio histórico, entre outros). No português do Brasil, a palavra “sítio” designa, com maior frequência, uma propriedade rural de área modesta, frequentemente usada para lazer ou lavoura.
Porém, em inglês, surgiu o termo website (às vezes web site) para designar um sítio virtual, um conjunto de páginas virtualmente localizado em algum ponto da Web. Acontece que, com poucos anos de uso, o termo website ganhou a forma abreviada site, que passou a ser uma segunda acepção do termo original. Site, portanto, em inglês, passou a designar alternativamente um lugar real (no campo) ou virtual (na Web).
Em português, surgiram três vertentes para a tradução do conceito. A mais difundida em Portugal respeita a dualidade do termo original, e traduz site por “sítio” – ou, se o contexto não for suficiente para o entendimento, por “sítio na Internet”, “sítio eletrônico”, “sítio na Web”, “sítio Web” ou, ainda, websítio (exatamente como no inglês). A segunda vertente, mais comum no Brasil, adotou simplesmente o estrangeirismo site, sem alterações, para se referir aos sítios virtuais, mantendo “sítio” para os reais. A terceira vertente, que tem, entre seus adeptos, o escritor brasileiro Millôr Fernandes, é saite, que tem, como vantagens, a identificação imediata com a palavra usada em inglês e a dispensa da grafia em itálico.

A pronúncia de site, tanto em inglês quanto em português, é /saIt/ pelo sistema SAMPA.

Um site, normalmente, é o trabalho de um único indivíduo, empresa ou organização, ou é dedicado a um tópico ou propósito em particular. É difícil dizer com clareza até onde vai um site, dada a natureza de hipertexto da Web. Por exemplo, toda a Wikipédia forma um site, mas, se as páginas Meta-Wikipédia são parte do mesmo site ou um site irmão, é uma questão aberta para debate.

Sites são escritos em ou dinamicamente convertidos para HTML e acessados usando um software cliente chamado web browser ou navegador. Sites consistem de páginas HTML estáticas ou páginas criadas dinamicamente usando tecnologias como JSP, PHP ou ASP. Um site também requer um software conhecido como servidor web, como o Apache, o mais usado, ou o IIS. Frequentemente, sites possuem, também, conteúdo armazenado em banco de dados (base de dados).
Plugins estão disponíveis para os browsers, o que os capacita a exibir objetos adicionais aos suportados nativamente. Exemplos incluem Flash, Shockwave, Silverlight e applets Java. O Dynamic HTML permite interatividade e modificação do conteúdo dentro da página sem precisar recarregar a página, usando principalmente o Document Object Model e JavaScript, suportado internamente pela maioria dos navegadores modernos.
Sites são restritos por limites de recursos (por exemplo, a largura de banda dedicada ao site). Sites muito grandes, como Yahoo!, Apple Inc. e Google, usam vários servidores e equipamentos de balanceamento de carga, como o Cisco Content Services Switch ou o F5 BigIP solutions.

Referências
Ir para cima ↑ Dicionário escolar da língua portuguesa/Academia Brasileira de Letras. 2ª edição. São Paulo. Companhia Editora Nacional. 2008. p. 1 187.
Ir para cima ↑ Pessoas envolvidas no desenvolvimento da WWW, entre elas Tim Berners-Lee